COMPARTILHAR

RIO DE JANEIRO – Você já deve ter lido algumas publicações sobre data center aqui no Tecnosense. Mas você sabe realmente o que é um? O que fazem? O que comem? Como se reproduzem? Brincadeiras à parte, toda foto que você pública no Instagram, toda mensagem que você troca com os amigos no WhatsApp ou no Messenger e todo vídeo que você assistiu no YouTube estão armazenados nesses sites (como também são chamados).

Em um resumo rápido, um data center é um espaço físico que abriga servidores de serviços que não podem parar. Ou seja, quando você espera até à meia-noite para comprar um videogame em uma loja online, durante uma ação da Black Friday, essa plataforma está hospedada em um data center e ele é um dos responsáveis em manter o serviço funcionando e você não perder a transação.

Se você ainda questiona qual o benefício para nós – usuários finais -, o presidente da Equinix no Brasil, Eduardo Carvalho, explica mais no vídeo acima que gravamos durante nossa visita ao data center da empresa no Rio de Janeiro.

Mas… o que é a Equinix?

RJ2 é o segundo data center no Rio de Janeiro
RJ2 é o segundo data center no Rio de Janeiro

A Equinix é uma empresa de data centers que está presente em 40 países. São 145 sites espalhados pelos cinco continentes. Aqui no Brasil, dois estão localizados no Rio de Janeiro e outros dois em São Paulo. Os quatro sites agrupam mais de 800 organizações.

Recentemente a Equinix colocou em operação a segunda unidade carioca, a RJ2 – local que o Tecnosense visitou. O presidente da Equinix no Brasil, Eduardo Carvalho, explicou que cerca de R$ 100 milhões foram investidos no site, que tem mais de 1.000 m² e mais de 300 racks – armários metálicos onde os equipamentos são montados.

O RJ2 conta com duas fases – a segunda também entrou em operação há pouco tempo – e a terceira deve ser inaugurada em meados de 2017, afirma Eduardo Carvalho. “Ainda temos uma fase inteira para ser vendida [fase 2], por isso não temos uma data exata, mas em meados de 2017 ela já começará a operar”, contou. A unidade atende vários players (empresas) como óleo e gás, telecomunicação, comércio eletrônico, entre outros.

Para o primeiro trimestre de 2017, a Equinix planeja a inauguração da primeira etapa do terceiro data center em São Paulo. O SP3 estará localizado em Santana de Parnaíba e terá cinco fases, com cerca de 2.800 racks. A proposta é dobrar a disponibilidade de espaço da empresa no Brasil.

Com um investimento de US$ 76 milhões, o SP3 terá um espaço de 20 mil m², 8 mil m² de área de colocation, além de disponibilizar 13,3 megawatts de energia e contar com uma própria subestação de alta tensão e linhas redundantes para garantir confiabilidade e estabilidade.

O SP3 também está localizado bem próximo ao SP2, que fica em Tamboré. Com isso, é possível ligar os dois sites por meio de fibra ótica escura via Equinix Metro Connect – solução da empresa que prevê conectividade entre diferentes data centers para fornecer acesso direto a mais de 1.150 operadores e mais de 5.300 empresas de baixíssima latência.

E o que a Equinix vende?

A Equinix poderia vender “apenas” data center. Sim, poderia. Mas a escassez de ofertas no mercado levou a empresa a trabalhar com foco em outro modelo de negócio. “A gente sempre fala que não vende mais data center, mas que vendemos oportunidades de negócios dentro de um site”, ressaltou o presidente da Equinix no Brasil, Eduardo Carvalho.

Modelo de negócio da Equinix permite que outras empresas utilizem data center para vender e comprar serviços
Modelo de negócio da Equinix permite que outras empresas utilizem data center para vender e comprar serviços

Com os data centers da Equinix, empresas podem conectar entre si no mundo todo, até mesmo as concorrentes. A ideia é que todas essas organizações aproveitem os serviços da Equinix – Cloud Exchange, Performance Hub, entre outros – e consigam, dentro do site da Equinix, fomentar negócios. “A ideia é que as empresas se conectem, comprem e vendam serviços dentro de nosso data center”, pontuou Carvalho.

Equinix e Recife

Se você mora na Veneza Brasileira, mas nunca ouviu falar da Equinix, não tem problema. A empresa atua principalmente no eixo Rio-São Paulo já que os grandes players internacionais têm um olhar voltado para essas regiões.

Mesmo assim, a empresa possui canais no Nordeste para a venda de serviços. Além disso, ela mantém contato com startups do Porto Digital. Uma reunião, possivelmente com a Ustore, empresa de infraestrutura dentro do complexo tecnológico, deve acontecer. O objetivo é montar um time com profissionais da Capital pernambucana para o desenvolvimento de aplicações para os serviços da Equinix.

*O repórter viajou a convite da Equinix.

Fotos: Equinix/Divulgação

Vídeo: Thulio Falcão/Tecnosense