Análises

[Análise] LG G4 aposta em design diferente e desempenho para todos os públicos

Avaliação do Editor

Custo-benefício 75%
Embalagem 100%
Bateria 85%
Design 100%
Câmera 100%
SO/Interface 90%
O G4 chegou para corrigir os erros do G3, ao mesmo tempo que traz um design único no mercado, além de um bom desempenho somado a um processador Snapdragon 808 e memória RAM de 3GB.
91

Quando lançou o G4, a LG quis mostrar que entende o que um consumidor procura na hora de escolher um smartphone. O novo top de linha da marca é robusto e atraente. Com um design curvo, funciona muito bem na mão do usuário, além de ter uma câmera com recursos interessantes para quem gosta de registrar os melhores momentos e também para os que tiram muitas selfies. Confira um pouco nossas impressões do novo celular da LG.

Leia mais sobre LG.

Caixa
Confesso que tive uma surpresa com a caixa do G4. Tive um G3 e me espantei quando a embalagem parecia uma caixa de bombons de chocolate. Era espaçosa para vir apenas um smartphone, bateria, carregador, fone de ouvido, cabo USB e um carregador wireless.

Já o G4 vem em uma embalagem simples de papelão, tão bem organizado que colocar todos os itens depois de volta é uma tarefa difícil. Brincadeiras à parte, o smartphone vem acompanhado com um cabo de dados microUSB com ponta USB, um fone de ouvido QuadBeat 3, carregador de tomada com porta USB e manuais de instruções.

Versão de couro do LG G4 está disponível no Brasil por R$ 3.099,00

Versão de couro do LG G4 está disponível no Brasil por R$ 3.099,00

Design
A sensação ao pegar o G4 é de que você está segurando uma pena. Embora o smartphone tenha uma tela de 5.5 polegadas, o corpo tem uma curvatura que lembra o G Flex 2 e, por isso, não parece pesar tanto (tem apenas 155 gramas) e se encaixa perfeitamente em sua mão. Na época do lançamento, a LG até comentou que esse formato evita maiores quedas do aparelho.

O G4 que testei tem uma traseira de plástico metalizada, o que não é ruim, mas também não é bom. Outras marcas trabalham com metal, mas se a ideia da LG é pensar no usuário e entregar a ele um celular com bateria removível, isso é compreensível. Tive um G3 por seis meses e, nesse tempo, encontrei poucos riscos no corpo do smartphone. Acredito que, mesmo de plástico, o G4 siga o mesmo caminho.

Vale lembrar que a LG continua investindo em não trazer botões nas laterais. O G4, assim como o G Flex 2 e o G3, conta com o smart buttom – liga/desliga – e o controle de volume na traseira do aparelho. Essa opção deixa mais fácil manusear o aparelho, seja para realizar ligações, escutar músicas, ou na execução de outras tarefas.

Ainda do design, o G4 tem um microfone com isolamento de ruídos e o infravermelho, para conexão NFC. Já na parte inferior, a entrada microUSB e a do fone de ouvido. O que para mim, chega a atrapalhar o uso do celular quando ele está conectado ao acessório, mas é mais questão de como você deixa no bolso da calça ou em uma mochila mesmo.

Tela
Já comentei mais em cima que o G4 tem tela Quad HD de 5.5 polegadas. Nela, a LG trabalhou uma resolução de 2560 x 1440 com densidade de 538 ppi e uniu isso à tecnologia IPS Quantum Display. Ou seja, a marca chegou a dizer que a novidade entrega 20% melhor a reprodução de cores, 25% mais brilho e 50% melhor contraste para as imagens, além de uma redução de 11% na energia.

O que não é uma mentira, principalmente comparando com um G3. Acessar os menus, ver vídeos, imagens ou quando usa o navegador, é possível ver essa diferença entre as cores. Outro ponto positivo são os ângulos de visão. Então enquanto você mexe o smartphone, ainda é possível ver sem dificuldade a tela. Talvez o único ponto negativo seja a cor preta. Por ser uma tela LCD IPS, o preto não é tão preto, mas isso não é algo que comprometa todo o desempenho da tela.

Tela Quad HD com tecnologia IPS Quantum traz cores mais vivas no LG G4

Tela Quad HD com tecnologia IPS Quantum traz cores mais vivas no LG G4

Processador, memórias e bateria
Seria injusto separar esses três componentes nesta análise. O G4 tem um processador Snapdragon 808 com seis núcleos – quatro de 1.44 GHz e dois de 1.82 GHz. Antes de continuar destrinchando o desempenho, é importante frisar no quanto a LG acertou ao trocar o Snapdragon 810 por este.

Quem tem smartphones com Snapdragon 810 sabe que eles esquentam mais do que deveriam. O G Flex 2 parecia que ia explodir a qualquer momento, mesmo que fosse carregando o aparelho ou exigindo uma tarefa mais complexa. O que a LG tem a ver com isso? O G Flex 2 foi um dos primeiros dispositivos com esse processador da Qualcomm.

Para evitar quaisquer erros ou até “fama”, a LG escolheu o 808. Ele pode ser até inferior ao 810, mas seus núcleos trabalham bem e garantem um ótimo desempenho nas tarefas do dia a dia. E sem esquentar tanto, vale salientar. O que permite um uso maior do aparelho, já que com o Snapdragon 810, o calor acionava um “modo de resfriamento” do processador.

Mesmo com o sistema operacional usando 10GB da memória interna, G4 permite o uso de microSD até 128GB

Mesmo com o sistema operacional usando 10GB da memória interna, G4 permite o uso de microSD até 128GB

Somado a isso, o G4 tem uma memória RAM de 3GB, GPU Adreno 418 e 32GB de armazenamento interno. Embora o sistema tome 10GB desse total, a LG foi na contramão das outras marcas e manteve a entrada de microSD de até 128GB. Para os que gostam de muitos aplicativos, fotos e vídeos, isso é uma mão na roda já que o consumidor não fica preso ao cabo USB ou serviços de nuvem para as transferências de arquivos.

Já a bateria possui 3.000 mAh. Parece até muito, mas para quem utiliza muito redes sociais, programas de áudio e vídeo, a duração pode encurtar muito. Não costumo usar Facebook e apps afins. Nos primeiros dias de teste com o G4, o tempo chegou a mais de 20 horas, o suficiente para mim que utilizo o smartphone mais para o trabalho.

Quando testei utilizando várias redes sociais que exigiam do aparelho – Facebook, Instagram, Snapchat, Twitter – a duração da bateria caiu para 15 horas a 17 horas, o que eu ainda acho muito. É preciso saber também que deixar o GPS ligado, tela com 100% de brilho e outros recursos ativos vão exigir a necessidade de carregar o celular em algum momento do dia.

Câmera
Digo com toda certeza que a LG conseguiu mostrar sua superioridade ao investir na câmera. A traseira com 16 megapixels tem abertura focal f/1.8. O que isso significa? Quase perfeição nas fotos. Isso porque a marca ainda trabalhou o estabilizador de imagem OIS 2.0 no G4, assim, é possível captar as cores reais de uma paisagem, por exemplo, e sem precisar manter o celular parado por muito tempo para as imagens não saírem tremidas.

Para quem não entende de fotografia, a câmera faz quase todo o trabalho por você. Até para os que tremem, o estabilizador ótico possui três eixos, então não se preocupem, as fotos e vídeos não irão sair tão borradas ou tremidas. Até em locais escuros, ou à noite mesmo, a câmera consegue captar detalhes e deixar a imagem mais rica (clique nas fotos abaixo para comparar).

Além disso, o G4 possui um modo manual, voltado para os usuários mais exigentes e que sacam um pouco de fotografia, transformando o aparelho em uma máquina semiprofissional, ou até mesmo profissional. Ou seja, é possível mexer o ISO, obturador, foco, balanço, entre outras funções. Já sobre os vídeos, o G4 suporta gravação em 4K.

Já a câmera frontal traz 8 megapixels (certo que a Asus lançou o Zenfone Selfie com 13MP) e abertura focal f/2. Assim como no G3, a LG aprimorou o Quick Selfie. Caso você queira tirar uma selfie, bastava abrir e fechar a mão. Agora, para capturar até quatro fotos, basta fazer o movimento duas vezes.

A câmera frontal conta também com o flash virtual. Se você estiver num lugar escuro, a tela irá utilizar 100% do brilho e criar um quadro branco em volta do enquadramento. Isso irá iluminar o rosto do usuário para a foto.

Num momento em que o mercado conta com smartphones com câmera frontal com grande ocular, como o Moto X 3º Geração e o Zenfone Selfie – isso permite quase uma selfie panorâmica – a câmera do G4 também não deixa a desejar. Mas é algo que a LG já deve trabalhar para um próximo smartphone, penso.

Câmera traseira de 16MP do G4 ganhou recursos "profissionais" como controle de ISO, abertura, foco, entre outros

Câmera traseira de 16MP do G4 ganhou recursos “profissionais” como controle de ISO, abertura, foco, entre outros

Android, interface e outros recursos
O G4 vem equipado com o Android Lollipop 5.1. O interessante da LG é que ela trabalha o sistema operacional do Google de forma a não prender o usuário a aplicativos inúteis. O smartphone tem alguns app pré-instalados, mas ela não impede o consumidor de tirá-los.

Além do mais, o G4 consegue trabalhar as animações com fluidez, sem travar o celular, mesmo quando vários aplicativos estão abertos. Com o LG UX 4.0, o smartphone parece caminhar para fazer todo o trabalho para o consumidor. A interface está mais inteligente e permite dois aplicativos abertos ao mesmo tempo. Com o Quick Remote, o aparelho vira um controle universal. Essa função já estava presente no G3, mas no novo top de linha, o recurso está mais fácil de utilizar.

Interface LG UX 4.0 trouxe melhorias nos recursos inteligentes do G4

Interface LG UX 4.0 trouxe melhorias nos recursos inteligentes do G4

O usuário também poderá organizar o aparelho para que alguns recursos sejam ativados ou desativados com o Smart Settings. Você pode querer que, ao chegar em casa, o Wi-Fi ou Bluetooth se conectem ao som, por exemplo. Para os que se preocupam com a saúde, a LG melhorou, e bastante, o LG Health. Nos dias que testei o celular, recebia “mensagens motivacionais” informando que faltava pouco para completar meu objetivo – que era dar 7 mil passos por dia para perder tantos quilos. Até então no G3, o recurso funcionava mais como um medidor mesmo.

Já conhecidos de outros smartphones da empresa, o Knock Code e Knock On estão presentes no G4. O primeiro você desbloqueia a tela do celular com toques. Já a segunda, basta dar dois toques na tela para ligar ou desligar a tela.

Conclusão
O G4 é um smartphone que funciona para os usuários mais exigentes aos que utilizam apenas por diversão. A LG conseguiu reunir boas funcionalidades a um bom desempenho de bateria e processador, sem esquecer de entender o que o consumidor procura na hora de trocar de aparelho. Além disso, o aparelho tem um design único e moderno, se afastando de dispositivos semelhantes como o Galaxy S6 com o iPhone 6, ou até mesmo o Zenfone 2 com o G3.

Conseguir melhorar os erros do G3 também teve um custo para o usuário final. O G4 foi lançado no Brasil custando R$ 2.999, preços similares ao Galaxy S6 e iPhone 6, mas muito acima se formos comparar com o recém lançado Zenfone 2, que custa R$ 1.500.

Onde comprar
Casas Bahia
Extra
Ponto Frio
Submarino
Wallmart

Fotos: Thulio Falcão/Tecnosense

Previous post

[Análise] Rayman Legends é simples, mas com gráficos e música caprichados

seo playstation plus novembro
Next post

PS4 fabricado no Brasil custará R$ 2.599

Thulio Falcão

Thulio Falcão

Eu sou jornalista e gosto de brindar. Na falta de um par, brindo só. O importante é o copo cheio. Nada melhor que jogar videogame ou discutir tecnologia num boteco de esquina.