AnálisesNotícias

[Análise] Zenfone 3 Zoom da Asus

Salve, salve, pessoas! Depois de muitos meses testando, eis que trago a minha experiência com o Zenfone 3 Zoom. O smartphone da Asus foi lançado no OnBoard 3, em março deste ano. Quem acompanhou notícias sobre o aparelho nesse tempo, sabe que a fabricante liberou diversas atualizações de correção de bugs. Mas não vejo isso como uma dor de cabeça. Pelo contrário…

Considero o Zenfone 3 Zoom um acerto no mercado brasileiro de smartphones. Ele chegou em três versões e as três com configuração bem bacana, design bem maneiro e um preço “acessível”. O que mostra que há sim um exagero de outras fabricantes em cobrar muito por pouco em aparelhos similares.

O ~lançamento~ da Asus também é outro acerto para a própria empresa. O Zenfone Zoom (que também já analisei) parecia querer agarrar o mundo com as pernas. Com o sucessor, a fabricante parece ter dado um passo atrás, mas certeiro. Quer saber os motivos disso? Confira nos parágrafos abaixo!

Design

O Zenfone 3 Zoom tem um acabamento em liga de alumínio e proteção Corning Gorilla Glass 5. O aparelho é realmente bonito, mas parece ter uma confusão de identidade. A parte frontal lembra muito o Zenfone 3 (eu sei que ele é da linha 3, mas…), enquanto a traseira o iPhone 7 Plus. Lembro que no OnBoard alguém até perguntou sobre essa semelhança e Marcel Campos, executivo da Asus, respondeu que chegamos numa era em que o corpo dos smartphones vai ser bem parecido.

Toda elegância do smartphone também traz dois pontos negativos: a teclas capacitivas, na parte inferior, não são retro-iluminadas e o aparelho é bem liso, o que pode facilitar na queda. Mas coloco aqui um parênteses. Fiquei impressionado com a resistência dele. Dia desses tava numa festa, o Zenfone caiu no chão e eu ainda pisei nele! No fim, ele saiu apenas com um risco mínimo na tela, que mal era visto! Sorte!

Desempenho do Zenfone 3 Zoom

O aparelho chegou ao Brasil em três versões: 3GB de RAM e 32GB de armazenamento; 4GB de RAM e 64GB de armazenamento; e 4GB de RAM e 128GB de armazenamento. Recebi esta última e ainda um cartão de memória microSD de 64GB. Outras especificações são um Qualcomm Snapdragon 625, tela AMOLED de 5.5 polegadas com resolução Full HD e brilho de 500 nits.

Posso dizer que o desempenho foi, se não melhor, bem próximo ao Zenfone 3. Os 4GB de RAM e o Snapdragon 625 são uma dupla e tanto na hora de executar aplicativos. É fácil usar a câmera, depois Instagram, fuçar o Facebook, conferir o Twitter, abrir algum jogo, parar e responder uma mensagem no WhatsApp. O aparelho conseguiu suportar bem essa troca de aplicações sem engasgar.

Para quem realiza essas tarefas mais básicas, posso até dizer que comprar um smartphone com 4GB de RAM deve ser até um exagero. Mas para os heavy users, não! Quem adora jogar também não vai se decepcionar com o Zenfone 3 Zoom. Ele conseguiu suportar vários jogos – Final Fantasy III, Sailor Moon Drops, Magikarp Jump, Solitairica – sem travamento e sem diminuir drasticamente o desempenho da bateria.

ZenUI

A ZenUi merece um tópico só dela desta vez. O Zenfone 3 Zoom vem com o Android 6.0.1 Marshmallow, mas teve atualização para o Android 7.1.1 Nougat nas últimas semanas. Nunca fui com a cara da interface, mas a Asus já tinha começado a trabalhar melhorias nela após ouvir muito o consumidor e produtores de conteúdo.

Bem, um bom caminho andado está na ZenUI do Android 7.1.1. A interface está mais bonita, menos poluída. É possível personalizar mais ainda algumas configurações e os ícones estão mais sóbrios. Senti que a atualização otimizou, para melhor, o desempenho de alguns aplicativos.

Por outro lado, o sensor de impressão digital do meu aparelho tem demorado a responder mais ao toque. Além disso, nem sempre ele reconhece minhas digitais e eu preciso recadastrar os dedos. Mas deve ser algo mais pontual mesmo e nada que uma atualização resolva.

Câmera do Zenfone 3 Zoom

A câmera do Zenfone 3 Zoom é o grande diferencial do aparelho, de fato. As duas traseiras possuem 12 megapixels. Uma com sensor IMX362, abertura f/1.7, tecnologia DualPixel e estabilização óptica. Já a segunda tem abertura f/2.6 e estabilização digital. Já a selfie possui um 13 megapixels, sensor IMX214 e abertura f/2.0. Não há flash na parte frontal.

O legal do aparelho é o zoom óptico de 2,3 vezes. O próprio software da câmera traz um botão que já deixa o sensor nesse valor. Utilizando esse recurso, a perda na qualidade de imagem é bem pouca, ainda mais em ambientes com muita luz. Isso já não acontece quando selecionamos o zoom 5x. É preciso deixar o smartphone bem firme ou num tripé para a foto não sair borrada ou granulada.

Quanto ao desempenho das câmeras traseiras, é bem acima de aparelhos intermediários concorrentes. O Zenfone 3 Zoom traz um modo Manual bem completo. A minha dica é usar o aplicativo sempre nesta opção. Não que o Automático seja ruim, mas ele puxa muito para a cor azul e a entrada de luz é muito maior, o que dá a impressão que algumas fotos saem estouradas.

O modo Retrato foi adicionado também ao aplicativo da câmera com a atualização para o Android 7.1.1, o deixando ainda mais superior a outros concorrentes. O que percebi, com o novo sistema operacional, é um tempo maior no processamento da imagem, mas também nada que tire do sério.

Já a câmera frontal do Zenfone 3 Zoom, para mim, deixou um pouco a desejar. Ela conta com vários filtros de embelezamento, mas a impressão é que eles continuam ativos mesmo quando não estão. Somado a isso, o sensor frontal também deixa muito a luz entrar, dando impressão de uma imagem mais superficial.

Bateria

A bateria é outro chamativo do Zenfone 3 Zoom que merece um tópico só dele. Com 5.000 mAh, você consegue fácil passar mais de um dia usando o aparelho. Em uso moderado, consegui um dia e 18 horas. Já como heavy user, consegui um dia e 6 horas.

Quando a Asus atualizou o aparelho para o Android 7.1.1, li muitos relatos da queda drástica de desempenho da bateria. Não senti muito isso. Atualmente, meu smartphone tem durado ainda mais de um dia sem carga. Não chega mais a quase dois, mas consigo um desempenho satisfatório quando estou sempre jogando Magikarp Jump sem parar – é um vício, confesso.

O Zenfone 3 Zoom vale…

… o investimento. O aparelho chama atenção quando colocamos ao lado de concorrentes. Interessante é ver que, ao trazer três versões ao Brasil, a Asus atira para diversos públicos. Aos que gostam de fotos e redes sociais, aos que não desgrudam do aparelho para trabalhar, e aqueles que são heavy user mesmo.

Vale lembrar que o Zenfone 3 Zoom consegue concorrer até mesmo com aparelhos topo de linha. E isso é algo que gosto de ver na Asus. Essa coisa da fabricante atiçar as outras em relação às especificações e preço – a versão mais simples do aparelho está por R$ 1.899 no site da empresa. Desde o Zenfone 2 ela vem fazendo isso, mostrando que um smartphone com configuração ótima nem sempre significa custo alto para o usuário.

Daí eu percebo que a Asus já entregou um portfólio bacana aos usuários brasileiros. A única barreira mesmo é ganhar a confiança de quem ainda tem um pé atrás com a marca. Mas o Zenfone 3 Zoom mostra que essa parede já está em desconstrução. Quem sabe o Zenfone 4 não vire totalmente o jogo?

Fotos: Thulio Falcão/Tecnosense

Avaliação do Editor

Custo-benefício 90%
Desempenho 100%
Bateria 100%
Design 80%
Câmera 85%
Interface 85%
O Zenfone 3 Zoom da Asus chama atenção por trazer recursos profissionais na câmera e uma bateria que dura o dia todo sem dificuldade. Com configuração boa e preço "acessível", o telefone briga com outros intermediários, e até mesmo smartphones topo de linha, para encontrar seu lugar ao sol no mercado brasileiro.
90
Claro anuncia novo Plano Controle de 4GB por R$ 90
Previous post

Claro lança Plano Controle de 4GB por R$ 90

Wi-Fi Business da Oi quer expandir a experiência do cliente
Next post

Wi-Fi Business da Oi: solução corporativa quer expandir experiência do cliente

Thulio Falcão

Thulio Falcão

Eu sou jornalista e gosto de brindar. Na falta de um par, brindo só. O importante é o copo cheio. Nada melhor que jogar videogame ou discutir tecnologia num boteco de esquina.