Notícias

LG G6 chega ao Brasil por R$ 4 mil. Empresa afirma que preço é apenas posicionamento

SÃO PAULO* – As expectativas para o LG G6 sempre foram grandes. Em 2015, a sul-coreana inovou ao trazer o G5, o primeiro smartphone modular do mercado, mas as dificuldades no manuseio dos módulos transformaram o aparelho em um grande fiasco. A sensação foi a mesma no Brasil. Por aqui, a empresa decidiu trazer uma versão capada, com um processador intermediário e, somado a isso, um preço que não agradava o bolso de quase ninguém.

Leia mais sobre LG.

Quais as opções da LG diante disso? A crítica especializada bateu o martelo: ou tira ou aprimora os módulos. E o que a empresa fez? Tirou… ou quase isso [chegarei logo mais neste ponto de vista]. O G6 foi apresentado na CES 2017, em Las Vegas, e causou barulho… de forma positiva. Para nossa sorte, o aparelho foi lançado no Brasil, na última terça (25). Sem versão capada, o smartphone premium custa R$ 3.999 – preço igual ao Galaxy S8 da Samsung.

Mas o LG G6 vale tudo isso mesmo? No lançamento em São Paulo, na última terça (25), conversei um pouco com Marcelo Santos. O gerente de produtos da LG afirmou que o preço do smartphone é apenas posicionamento de mercado. É fato a LG ver a Samsung como a principal concorrente no Brasil, o que justificaria os R$ 4 mil. “O preço do G6 serve apenas como uma referência. O consumidor […] vai se deparar com uma quantidade de promoções exclusivas, em todos os canais, que ele vai ver que o LG G6 é um bom negócio”, ressaltou o executivo.

O que a empresa quer, na verdade, é dizer ao consumidor que há outras opções de smartphone. Como estratégia para desbancar a concorrência, a LG vai promover ações de descontos – embora a maioria foque em consumidores pós-pagos. Uma delas é em parceria com a Nagem. Por R$ 4 mil, o usuário leva o G6 e também um K10. “Teremos [parcerias] com operadoras também, planos interessantes para levar o aparelho com desconto. No varejo, você vai poder dar seu aparelho antigo para ter um desconto na compra do G6”, explicou Marcelo Santos.

Especificações do LG G6

O novo smartphone premium da LG possui um display com 5.7 polegadas FullVision QHD+ (resolução de 2.880 x 1440). O impressionante é que 80% do corpo do aparelho é só de tela. Ou seja, ele tem a aparência de um LG K10 Novo, que tem 5.3 polegadas. A novidade ainda é compatível com HDR 10. A empresa continuou apostando no sistema de câmera dupla na parte traseira do gadget. Desta vez, os dois sensores possuem 13 megapixels, um com ângulo de 71º e outro de 125º. Já a selfie tem 5 megapixels e, assim como o intermediário lançado neste, possui uma lente grande angular.

Em relação ao desempenho, o G6 tem um processador Qualcomm Snapdragon 821 de 2.35GHz, memória RAM de 4GB e armazenamento interno de 32GB com expansão via microSD de até 2TB. Ele já chega com o Android 7.0 Nougat. A bateria tem 3.230 mAh, um upgrade necessário em relação à concorrência. Sobre o design, o corpo tem acabamento em alumínio, além de uma moldura de metal em torno do aparelho. Já a parte traseira é plana. Assim ninguém precisa se preocupar com a saliência da câmera, nem em evitar impactos. O smartphone também tem resistência à água e poeira e está disponível nas cores Platinum e Astroblack.

Durante a apresentação do aparelho, a LG deu a entender que abriu mão dos módulos do G5, mas jogou todos eles dentro do G6. O lançamento tem áudio Hi-Fi, por exemplo. Comentei dessa impressão com Marcelo Santos, que brincou ao dizer que a empresa aprendeu a lição com o smartphone antecessor. “Uma das coisas que trouxemos do G5 foi exatamente a usabilidade da câmera. Além de outras heranças e, claro, inovações para o G6”, finalizou.

Fotos: Tecnosense

*O jornalista viajou a convite da LG.

Claro vai trazer loja conceito ao Recife
Previous post

Vai viajar no feriado? Confira dicas de apps antes de pegar a estrada!

Ganesha é novo personagem jogável de Smite
Next post

Ganesha é novo personagem jogável de Smite

Thulio Falcão

Thulio Falcão

Eu sou jornalista e gosto de brindar. Na falta de um par, brindo só. O importante é o copo cheio. Nada melhor que jogar videogame ou discutir tecnologia num boteco de esquina.