COMPARTILHAR

Certamente você ouviu muita gente comentar sobre os incidentes com o Note 7 da Samsung no ano passado. Diversos aparelhos explodiram após problemas na bateria, levando a fabricante a fazer um recall e, em seguida, cancelar a produção do smartphone. O flagship não chegou a ser comercializado no Brasil, mas várias companhias aéreas pediram para evitar o uso do celular durante algum voo.

Eis que a Samsung revelou as causas dos incidentes com o Note 7. Uma falha na produção das baterias teria resultado nas explosões do smartphone. A investigação aconteceu com mais três consultorias internacionais e foi divulgada na noite do domingo (20). Segundo a fabricante, dois defeitos levaram aos diversos incidentes.

O primeiro foi durante a primeira remessa do Note 7, em que a Samsung SDI foi a responsável pela produção. A bateria do aparelho era grande e o case não a comportava adequadamente. Isso fez com que os eletrodos, que deveriam estar separados, ficassem sobrepostos. O resultado disso era um superaquecimento e curto-circuito da bateria no canto superior direito, já que o eletrodo negativo estava posicionado de forma incorreta.

Já a segunda falha ocorreu na segunda remessa, após a Samsung fazer um recall dos aparelhos em setembro. Um fornecedor terceirizado foi o responsável pela produção das baterias. Mesmo assim, um defeito nas soldas internas causou uma ruptura na fita de isolamento elétrico, o que gerou novas explosões. Segundo os especialistas chamados pela fabricante, alguns aparelhos não contavam com esse separador. O infográfico abaixo explica melhor os dois problemas com o Note 7:

“Por vários meses, juntamente com organizações independentes de especialistas da indústria, realizamos uma investigação completa para encontrar a causa para os incidentes do Galaxy Note 7”, afirmou DJ Koh, presidente da divisão de dispositivos móveis da fabricante.

Samsung e o lançamento do S8

Com falhas semelhantes no Note 7, a Samsung anunciou também um Grupo de Aconselhamento sobre Baterias. O programa vai, de certa forma, realizar testes mais hardcore para evitar novos problemas do tipo. Após toda essa investigação, Koh afirmou que a empresa está empenhada em “ganhar a confiança dos nossos clientes através da inovação”.

Ou seja, se o anúncio do Galaxy S8 estava previsto para o fim de fevereiro, na Mobile World Congress 2017 em Barcelona, a empresa deve revelar o novo top de linha lá para abril. “A lições desse incidente estão refletidas em nossa cultura e processo. A Samsung irá trabalhar arduamente para reconquistar a confiança do consumidor”, disse o presidente da divisão de dispositivos móveis.